Paisagem de Janela

Quando amar vira obsessão

Entrevista

Para chegarem até ali foi preciso coragem. Elas levam para aquela sala uma longa teia de relatos de violências, abusos, excessos, anos de sofrimento e um desejo: saírem do desamparo. Só chorava. Sofria assédio moral e sexual no meu antigo emprego e vivia um caos no meu casamento. Até que naquele ano eu tomei muitos remédios para poder dormir para sempre; perdi os sentidos, convulsionei e fiquei em coma por 38 dias. Emo ex-marido de Ana lhe deu uma surra que a levou para o hospital. Sem me deixar explicar, começou a me agredir. Eu morava em um condomínio de classe média alta, em Campinas. A casa era enorme.

Anúncios mulheres separadas 635133

Feminismo na prática

Depois de três anos separados, ele voltou a me procurar e começamos a sair e a namorar. Exatamente dez anos depois do primeiro casamento, nos casamos novamente: eu, toda de lácteo, e com as minhas filhas de testemunhas. E deu para fazer fotografia, festa, tudo o que a pessoal tinha direito. Acho que o que fez a diferença, mesmo, foi o tempo, que permitiu que a pessoal crescesse, inclusive profissionalmente.

Faça uma assinatura voluntária

É também a base do MADA! O amor-patológico é uma doença que mata — totalmente derivada da sociedade machista em que vivemos. Sabemos que homens também sofrem desse mal, mas nosso grupo é focado para as mulheres oferecendo um espaço seguro de partilha e apoio. O grupo funciona atravessadamente dos 12 Passos e 12 Tradições baseados nos Alcoólicos Anônimoscom o foco em relacionamentos destrutivos. O termo se aplica para relacionamentos de qualquer natureza: afetivo-sexual, familiar, de trabalho, de amizade etc. As mulheres que participam de MADA vêm normalmente de lares destrutivos, e acabam por exercer padrões de comportamento aprendidos na infância para tentar modificar os outros, envolvendo-se sempre em relacionamentos parecidos com aqueles do transposto. O grupo me deu um atenuação imediato, pois naquelas mulheres encontrei sororidade de verdade, com abraços e sorrisos sinceros e a promessa de nunca mais ficar sozinha o que idade meu maior medo, na realidade. Essas mulheres salvaram a minha vida literalmente. O MADA pode ajudar a mulher a encontrar essa força interna e capacidade para mudar sua própria viver.

17 comentários

Viver estava blindado para que eu fosse adotivo no nascimento por um padroeiro e sua esposa. Mas, quando eu apareci, eles decidiram que queriam próprio uma menina. Vocês o querem. Ela único aceitou meses restante tardiamente quando os meus pais prometeram que algum dia eu iria para a faculdade.